Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Segurança e defesa nacional dos EUA: papel das forças armadas dos EUA na luta contra Coronavírus (COVID-19) nos Estados Unidos

Publicado: Sexta, 14 de Agosto de 2020, 08h38 | Última atualização em Quinta, 08 de Outubro de 2020, 11h22 | Acessos: 256

Luís Carlos Villa
Mestrando do PPGCM e Aluno do CAEM da ECEME

O COVID-19, uma doença rara que se originou em Wuhan, na China, no último trimestre de 2019, e evoluiu rapidamente para uma pandemia1 global que chocou a população mundial, prejudicando as economias locais e internacional. De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, os EUA estão respondendo a um surto de doença respiratória causada pelo COVID-19, que matou 7.616 americanos e mais de 300.000 casos de pessoas que tiveram resultados positivos nos 50 estados e territórios norte-americanos até o início de abril (CDC, 2020). Do ponto de vista da defesa e da segurança nacional, houve impactos significativos que serão explorados a seguir.

Reconhecendo o papel e a importância das forças armadas, especialmente em tempos de crise, o Dr. Mark Esper, secretário de Defesa dos EUA, anunciou as prioridades do DOD no sentido de proteger seus membros e familiares, manter a prontidão e apoiar a resposta governamental. São eles: (1) proteger os membros de serviço, suas famílias e prestadores de serviços do Departamento de Defesa (DOD), (2) manter a prontidão militar e (3) apoiar toda a resposta interinstitucional do governo (VERGUN, 2020).

Com relação à proteção dos membros do DOD, medidas foram implementadas para retardar o vírus e impedir mais contágio. Isso incluiu, entre outros: (1) autoridade dos comandantes da base para ajustar os serviços em sua instalação, (2) modificação de licenças e passes para o pessoal em transição das forças armadas, (3) interromper o movimento dos militares e suas famílias em mudança permanente de posto ou serviço temporário, (4) distanciamento social com ênfase na limpeza de superfícies tocadas pela mão, e (5) fechamento temporário das escolas de base2.

Um tema comum disseminado pelo comando é permanecer em casa e evitar ir ao trabalho ou a locais que possam impactar a saúde de outras pessoas, não apenas porque é um risco para a saúde, mas também porque pode prejudicar a missão das forças armadas. E embora o número de funcionários do Departamento de Defesa infetados seja relativamente baixo, pouco mais de 1.000 casos, em comparação aos mais de 300.000 casos nos EUA, e com baixa taxa de mortalidade de menos de cinco casos, ainda existem preocupações operacionais, já que o vírus continua a impactar a população civil (MYERS, 2020). As sequências das ações são destacadas por dois generais, o General do Exército Robert Abrams e o Major-General do Exército Roger Cloutier.

O General do Exército Robert Abrams, o principal general da Coreia do Sul e comandante de aproximadamente 28.000 militares estacionadas lá, foi efetivamente a primeira linha de frente contra o coronavírus. Sob sua premissa de "Ir com tudo, ir cedo", ele ordenou que os comandantes subordinados fechassem academias, suspendessem o transporte público dentro e fora das bases, restringissem o fluxo de pessoas que entravam nos supermercados da base, monitorassem todo o pessoal em busca de mudanças no estado de saúde e ordenou a modificação das atividades relacionadas às missões para minimizar o risco de infeção e agir rapidamente no caso de contágio. Em 3 de abril de 2020, apenas 17 casos foram constatados como positivo para COVID-19 (GALLO, 2020).

Outro importante comandante é o Major-General Roger Cloutier, do Exército dos EUA, responsável pelas tropas na África, com sede em Vicenza, Itália, que aproveitou as lições aprendidas por Abrams e agiu de maneira semelhante contra o COVID-19. O Gen Cloutier agiu decisivamente para criar uma barreira protetora em torno de suas instalações militares, impedir que o vírus infectasse suas tropas e famíliares, casas e escolas. Operando em uma região severamente afetada pelo vírus, as ações decisivas do MG Cloutier contribuíram para proteger uma comunidade de aproximadamente 15.000 americanos. Até o momento, menos de cinco pessoas atestaram positivo COVID-19 (NAYLOR, 2020).

Com relação à ameaça que o COVID-19 representa para a prontidão e o treinamento militar, as instalações militares dos EUA foram colocadas no Nível de Condição de Proteção à Saúde Charlie (HPCON3), que inclui orientações sobre distanciamento social, estoque de 14 dias de suprimentos básicos e autoridade ampliada aos comandantes de instalação para restringir o acesso de pessoal não essencial à missão às suas bases. As forcas de emprego rápido assumiram uma postura HPCON Delta, permanecendo prontas para responder às ameaças em todo o mundo (USARMY, 2020).

Em relação ao treinamento, o General McConville, Chefe do Estado-Maior do Exército, adotou política voltadas para a determinação do pessoal essencial para que cada missão continue, mas os comandantes de todos os níveis devem tomar todas as precauções de segurança necessárias para proteger a força, e que possam continuar a proteger a nação. Isso inclui empregar uma mentalidade de segurança para mitigar riscos; realizar somente treinamentos no nível de esquadrão e abaixo, mantendo o distanciamento social durante o treinamento e aplicando os padrões de higiene (USARMY, 2020).

Devido à ameaça e necessidade das forças e do país para superá-lo, a Escola de Medicina Aeroespacial da Força Aérea dos EUA (USAFSAM) iniciou recentemente o treinamento de médicos sobre o uso do Sistema de Isolamento de Transporte (TIS) para cuidar de pacientes infetados com COVID-19, em aeronaves de carga militar ou “cauda cinza”, como esses ativos são comumente conhecidos.

O COVID-19 também impactou nas missões de valor estratégico, como a “DEFENDER Europe 2020”, onde as unidades foram colocadas em prontidão obrigatória sem necessidade de viagem. O porta-aviões da Marinha da classe Nimitz, USS Theodore Roosevelt (CVN 71), transportando aproximadamente 4.000 marinheiros, dos quais mais de 100 deram positivo para COVID-19, é um exemplo da tênue linha entre proteção e prontidão para o combate. Depois de interromper abruptamente sua missão, o navio está atualmente ancorado nas águas territoriais dos EUA, aguardando saneamento. Sua tripulação foi evacuada para a Base Naval de Guam, aguardando resultado dos testes e permanecendo em quarentena. Conforme mencionado pelo SECDEF é importante manter a prontidão em tempos difíceis, para que as forças armadas dos EUA possam estar prontas para lutar e vencer, se necessário. Isso é algo bastante desafiador devido à natureza do COVID-19 (VERGUN, 2020).

A integração do DOD com organizações interinstitucionais para apoiar a abordagem de “todo o governo” tem sido efetiva. Essa integração é essencial para o país superar essa crise. Em um discurso à nação, o presidente Trump anunciou: "estamos expandindo o papel das Forças Armadas como um esforço de resposta unificado, porque ninguém está mais preparado que os Estados Unidos para vencer uma guerra e nós estamos em uma guerra contra um inimigo invisível" (ROLE, 2020). Ele acrescentou que quase 10.000 funcionários médicos aposentados responderam ao chamado de seu país e atualmente estão aumentando hospitais de campanha e instalações em todo o país.

Como parte do esforço conjunto, o Corpo de Engenheiros do Exército está trabalhando sob a direção da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências dos EUA (FEMA) e com agências estaduais e locais para avaliar instalações e ajudar a construir hospitais temporários, abrigos e locais de atendimento alternativos. As unidades de reserva e as forças de guarda nacional também foram ativadas para ajudar os governos estaduais em todo o país. O Exército instalou três hospitais de campanha nas principais cidades dos EUA para aumentar os serviços de emergência, para que possam continuar salvando vidas (USARMY, 2020).

Como parte do esforço contínuo de combate ao COVID-19, a Marinha dos EUA enviou seus dois navios exclusivamente equipados para assistência médica. O USNS Comfort foi ancorado em Nova York, enquanto o USNS Mercy foi para Los Angeles. Embora o objetivo de ambos os navios não seja o tratamento de pacientes com COVID-19, eles podem ser configurados para tal objetivo. Os navios foram colocados perto de grandes centros populacionais para servir como válvula de alívio para hospitais locais, para que esses possam se concentrar no tratamento de pacientes com COVID-19.

Outro Comando Combatente fortemente envolvido na luta contra o COVID-19 é o Comando de Transporte dos EUA (USTRANSCOM), agência responsável pela capacidade do DOD de projetar e sustentar a força globalmente. Isso significa possuir transporte aéreo, transporte marítimo, reabastecimento aéreo, aviões, caminhões, navios e todos os outros meios de transporte convencionais e não convencionais. O USTRANSCOM integra recursos militares e comerciais - Frota de Aviação de Reserva Civil (CRAF) - para alavancar ativos e apoiar as demandas do país, por exemplo, alguns exames de coronavírus foram transportados por todo o mundo, hospitais de campanha foram movidos por todo o país e foi dado apoio a repatriações do Departamento de Estado (DOS) de Cidadãos Americanos (USTRANSCOM, 2020).

A crise do COVID-19 não é o primeiro desafio que os Estados Unidos já enfrentaram. As forças armadas dos EUA estão conduzindo uma "mudança de missão" à medida que trabalham em apoio à nação. Conforme mencionado anteriormente, a proteção e o treinamento são essenciais para manter um exército poderoso. No entanto, a integração interagências e a colaboração com os setores civil e privado aumentarão a capacidade de combate da América contra um vírus que já matou muitas pessoas nos Estados Unidos. O COVID-19 mudará para sempre a maneira como as forças armadas dos EUA treinarão e se prepararão para defender a pátria. Depois que a poeira for assentada, as lições aprendidas com a crise do COVID-19 serão implementadas para fortalecer a Estratégia Nacional de Segurança e Defesa dos EUA, bem como em nações ao redor do mundo.

Rio de Janeiro - RJ, 20 de abril de 2020.


1 Uma epidemia que se torna muito disseminado e afeta uma região inteira, um continente ou o mundo devido a uma população suscetível. Uma verdadeira pandemia causa um alto grau de mortalidade.
2 Escolas de ensino fundamental, médio e médio.
3 Variam de "Normal" a "Delta" de acordo com o nível de ameaça.


Como Citar este documento:

VILLA, Luís Carlos. Segurança e defesa nacional dos EUA: papel das forças armadas dos EUA na luta contra Coronavírus (COVID-19) nos Estados Unidos. Observatório Militar da Praia Vermelha. Rio de Janeiro: ECEME. 2020.


Referências:

USA. Army Officials Hold a Defense Department News Briefing on COVID-19 Efforts. 2020. Disponível em: https://www.defense.gov/Newsroom/Transcripts/Transcript/Article/2129433/army-officials-hold-a-defense-department-news-briefing-on-covid-19-efforts/ Acessado em 4 de abril de 2020.

BRAHMA, Dweepobotee; CHAKRABORTY, Sikim; MENOKEE, Aradhika. The early days of a global pandemic: A timeline of COVID-19 spread and government interventions. 2020. Disponível em: https://www.brookings.edu/2020/04/02/the-early-days-of-a-global-pandemic-a-timeline-of-covid-19-spread-and-government-interventions/ Acessado em 4 de abril de 2020.

CDC. Centers for Disease Control and Prevention Coronavirus Disease 2019 – cases in U.S. Disponível em: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/cases-updates/cases-in-us.html Acessado em 4 de abril de 2020.

TIMES. Donald Trump expands role of US Army in fight against coronavirus. Disponível em: https://economictimes.indiatimes.com/news/defence/donald-trump-expands-role-of-us-army-in-fight-against-coronavirus/articleshow/74978588.cms?from=mdr Acessado em 4 de abril de 2020.

GALLO, William. In South Korea, How US General Contained COVID-19. Disponível em: https://www.voanews.com/science-health/coronavirus-outbreak/south-korea-how-us-general-contained-covid-19 Acessado em 4 de abril de 2020.

MILLER, Cody. Airmen perform in-flight Transportation Isolation System Training. Disponível em: https://www.af.mil/News/Article-Display/Article/1782743/airmen-perform-in-flight-transportation-isolation-system-training/ Acessado em 4 de abril de 2020.

MOSHER, Dave; SECON, Holly; WOODWARD, Aylin. A comprehensive timeline of the new coronavirus pandemic, from China’s first COVID-19 case to the present. Disponível em: https://www.businessinsider.com/coronavirus-pandemic-timeline-history-major-events-2020-3 Acessado em 4 de abril de 2020.

MYERS, Meghann. The number of troops hospitalized for COVID-19 doubled over the weekend. Disponível em: https://www.militarytimes.com/news/your-military/2020/03/30/the-number-of-troops-hospitalized-for-covid-19-doubled-over-the-weekend/ Acessado em 4 de abril de 2020.

NAYLOR, Sean. 'Protective bubbles': How 2 Army Generals stopped the spread of coronavirus among their Soldiers. Disponível em: https://news.yahoo.com/protective-bubbles-how-two-army-generals-stopped-the-spread-of-coronavirus-among-their-soldie rs-090047822.html Acessado em 3 de abril de 2020.

USARMY. US Army assembles hospital in Seattle for non-COVID-19 patients. Disponível em: https://www.army-technology.com/news/us-army-assembles-hospital-in-seattle-for-non-covid-19-patients/. Acessado em 3 de abril de 2020.

USARMY. USAFSAM starts training medics to attend COVID-19 patients. Disponível em: https://www.airforce-technology.com/news/usafsam-training-medics-covid-19-patients/ Acessado em 4 de abril de 2020.

USARMY. USNS Comfort docks in New York. Disponível em: https://www.army-technology.com/features/coronavirus-timeline/ Acessado em 4 de abril de 2020.

USARMY. USNS Mercy departs from San Diego to support COVID-19 response. Disponível em: https://www.naval-technology.com/news/usns-mercy-departs-from-san-diego-to support-covid-19-response/ Acessado em 4 de abril de 2020.

USARMY. USS Roosevelt CO calls for evacuation of coronavirus-hit ship. Disponível em: https://www.naval-technology.com/news/uss-roosevelt/. Acessado em 4 de Abril de 2020.

USARMY. USTRANSCOM Commander Gen. Lyons Holds a Press Briefing on Support for the Nation's COVID-19 Response Efforts. US Department of Defense Disponível em: https://www.defense.gov/Newsroom/Transcripts/Transcript/Article/2132440/ustranscom-commander-gen-lyons-holds-a-press-briefing-on-support-for-the-nation/ Acessado em 3 de abril de 2020.

VERGUN, David. Esper Lists DOD’s Top Priorities During COVID-19 Pandemic. US Department of Defense. Disponível em: https://www.defense.gov/Explore/News/Article Acessado em 4 de abril de 2020.


64498.003649/2020-72

Fim do conteúdo da página