Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

XXIX Ciclo de Estudos Estratégicos - Os Desafios do Sistema Internacional Contemporâneo para a Defesa

Início do conteúdo da página

A liderança de Zelensky no conflito da Ucrânia

Publicado: Terça, 12 de Julho de 2022, 07h01 | Última atualização em Terça, 12 de Julho de 2022, 11h29 | Acessos: 1150

 

Rogério de Amorim Gonçalves

Coronel R/1 Mestre e Doutorando em Ciências Militares

“Com sua habilidade de atrair para si os aliados
e conquistar a solidariedade do mundo, Zelensky
é um modelo para os líderes do nosso tempo”
(COCKERELL, 2022). 

1. Introdução

Antes da eclosão do conflito, a visão que era passada para o ocidente sobre Zelensky apontava que ele atuava no meio do entretenimento, exercendo o papel de comediante nos canais televisivos da Ucrânia. Devido à sua popularidade, Volodymyr Zelensky resolveu se candidatar à presidência da Ucrânia e, em 20 de maio de 2019, foi empossado como presidente da Ucrânia. Efetivou-se como o presidente mais jovem da história do país, o primeiro de formação judaica e o sexto desde sua independência. Em seu discurso de posse, como primeiro ato, decretou a dissolução do parlamento ucraniano e antecipou a convocação das eleições legislativas.

Dito isto, este artigo tem por finalidade analisar a trajetória do presidente da Ucrânia Volodymyr Zelensky, destacando os atributos de liderança evidenciados pelo presidente ucraniano durante o conflito russo-ucraniano, ainda m curso.

2. A liderança estratégica

Para compreender a Liderança Estratégica, torna-se necessário revisitar a literatura que fala sobre liderança. Segundo Rowe (2002), liderança estratégica é a habilidade de influenciar outras pessoas a tomar, de forma voluntária e rotineira, decisões que aumentem a viabilidade à longo prazo da organização, mantendo a estabilidade financeira à curto prazo. Nesta definição, importantes ferramentas sobre o desenvolvimento da Liderança Estratégica podem ser observadas: presença de liderados (seguidores), presença do líder, existência de objetivos estratégicos, visão de futuro e planejamento de recursos financeiros para atingir-se o resultado estratégico estabelecido.

Sobre as características inerentes ao líder estratégico, Mandelli e Loriggio (2016) afirmam que o líder estratégico precisa ter características proativas, necessita estar sempre na vanguarda e deve chamar para si a responsabilidade pelos caminhos a serem percorridos para alcançar o futuro, antecipando tendências e direções, sem permitir que a rotina diária dificulte essa condição. A dupla ainda acrescenta que os maiores problemas devem ser resolvidos pelos melhores peritos. Inferem ainda que, o gestor/diretor que almeja resolver sozinho todos os problemas termina por não amadurecer a equipe e conclui que o gestor/diretor deve gerenciar pessoas e tirar das pessoas o melhor de cada uma para que a organização consiga atingir os objetivos estratégicos propostos.

3. A trajetória de Volodymyr Zelensky

Antes de assumir o cargo presidencial, em 2019, Zelensky atuou como ator, comediante, roteirista e produtor de cinema. Ainda jovem, Volodymyr trilhou a carreira humorística, chegando a participar do “Clube das Pessoas Divertidas e Inventivas” - um festival de humor. Em seguida, após sua equipe vencer a competição, em 1997, ele criou a Kvartal 95, uma equipe de comédia que passou a fazer sucesso no cenário cultural ucraniano.

De 2008 a 2016, Zelensky esteve envolvido em filmes como Love in the Big City, Office Romance. Our Time, Rzhevsky Versus Napoleon e 8 First Dates. Em 2015, Zelensky adquiriu popularidade, quando debutou na televisão integrando o elenco de O Servo do Povo, que obteve grande audiência e alcançou sucesso no país. O programa baseava-se em gozação à política e mostrava Zelensky num papel de promissor lecionador de história e que se tornava presidente após ter divulgado um vídeo, onde mostrava-se insatisfeito com a corrupção. Três anos após a estreia do programa de comédia, Zelensky candidatou-se à campanha eleitoral pelo partido Servos do Povo e se elegeu presidente da Ucrânia, país com uma população estimada em 44 milhões de habitantes.

Sua campanha foi planejada, em grande parte, por meio das mídias sociais e com expectativas de ser opção de renovação no governo. Zelensky, sem experiência na política, alcançou a vitória inédita com 73% dos votos no segundo turno contra o adversário Petro Poroshenko, que buscava a reeleição. Segundo Siza (2022), “do trio de antigas repúblicas soviéticas que por causa da agressão militar da Rússia apressaram a entrega de pedidos de adesão à União Europeia, a Ucrânia é aquela que tem a pior posição no índice de percepção da corrupção publicado anualmente pela Transparência Internacional: com 32 pontos em 100, o país ocupa a 122.ª posição numa lista de 180”. E assim, Zelensky tomou posse da presidência defendendo a aproximação da Ucrânia com os países ocidentais, objetivando entrar para a União Europeia (UE) e integrar a OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

4. As evidências de liderança estratégica observadas em Volodymyr Zelensky

Desde o momento que a Ucrânia foi invadida pela Rússia em 24 de fevereiro, os olhos do mundo convergiram para a região. Volodymyr Zelensky, presidente ucraniano, imediatamente se tornou conhecido em todo o cenário mundial, principalmente pela maneira como tem se posicionado durante o conflito. Nesse conflito, verifica-se a empatia de Volodymyr Zelensky junto à sua população, evidenciada pela aproximação com as pessoas na cidade de Kiev, da mesma forma que se constata o apoio recebido pelos habitantes das demais cidades do país. Aproveitando-se disso, Volodymyr Zelensky, de maneira hábil e inteligente, concita a sua população a resistir e lutar pela manutenção da soberania da Ucrânia.

Outras características de liderança que são evidenciadas pelo presidente ucraniano nesse conflito são os atributos de carisma e de coragem, que podem ser verificados durante entrevistas e em reportagens realizadas pela internet e nos principais canais de notícias do mundo como a CNN (Cable News Network), como o CBS (Columbia Broadcasting System) e como a BBC (British Broadcasting Corporation). Neste conflito, depreende-se que os líderes que se tornam exemplos a serem seguidos e admirados são aqueles que não possuem apenas valores individuais, mas também, detém a capacidade em refletir sobre os valores e sobre a identidade daqueles que lideram.

A simplicidade e a empatia são outras evidências de liderança apresentadas por Volodymyr Zelensky neste conflito. Despido do tradicional traje social e vestido com roupa de guerra, o presidente ucraniano apresenta-se como o líder que está junto com sua população nos momentos mais críticos do atual conflito com a Rússia. O presidente tem estado sempre no centro do conflito e em locais que não são seguros. Nessas ocasiões, o presidente procura orientar os ucranianos a lutarem, não por ele, mas com ele, pelo bem maior, que é a sobrevivência da Ucrânia. Mesmo sabendo que pode ser o principal alvo a ser abatido pelos russos, Volodymyr Zelensky recusou a proposta norte-americana de se ausentar do país e escolheu ficar em território ucraniano para liderar seu país durante o transcurso da guerra.

Vale destacar sua comunicação estratégica, que é clara e direta, e busca transmitir a mensagem o mais transparente possível aos que os assistem. Na comunicação estratégica, Volodymyr Zelensky busca incentivar o povo ucraniano com palavras de esperança, demonstrando dessa forma, empatia e apreço pelos ucranianos. Procura, antes de tudo, diálogo, como se percebe nos encontros de negociações de paz com Putin – presidente russo, mas aparece determinado e forte nas convicções de que a Ucrânia é um país independente e soberano, revelando alto grau de estabilidade emocional, atributo fundamental para líderes que atuam em cenários de crise. Observa-se, ainda, a resiliência e coragem, características que Volodymyr Zelensky possui, assim como todo o povo ucraniano e que incentiva a serem fortalecidas.

5. Considerações finais

Pelo exposto, a maneira pela qual Volodymyr Zelensky conduz o seu país durante esse conflito descortina valiosos atributos de um líder estratégico, tais como: empatia, carisma, coragem, negociação, comunicação estratégica, resiliência e estabilidade emocional.

A par dessas considerações, percebe-se claramente que o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky tem dado mensagens interessantes para os principais chefes de Estado. A sua forma de atuar, a sua presença diária nas regiões afetadas pela guerra e o seu poder de comunicação com os atores envolvidos nesse conflito revelam que a liderança fica evidenciada, quando do surgimento de oportunidades para que essa liderança fique aflorada. Decorrido alguns meses de embates, constata-se que Volodymyr Zelensky tem buscado passar a imagem de resistência e de manutenção da unidade do povo ucraniano, no sentido de manter a soberania de seu país. Não obstante, o presidente ucraniano ainda busca um diálogo focado no término do conflito e no retorno da paz, uma vez que a guerra atual já causou a morte de muitas pessoas, tanto do lado ucraniano, como do lado russo.

Por fim, esse conflito revela que é necessário surgir um evento, uma oportunidade, uma guerra para que possa evidenciar a atuação de um líder, como no caso do presidente Volodymyr Zelensky, que passou de simples comediante de televisão e foi alçado, por meio do voto popular, a chefe da nação ucraniana e, não obstante, ainda está a frente de seu país combatendo um oponente estatal com poder bélico muito superior ao da Ucrânia.

 

 

Referências Bibliográficas: 

  1. COCKERELL, Dan. Entrevista à revista Época. 2022 Disponível em: https://epocanegocios.glob o.com/Empresa/noticia/2022/03/por-que-os-lideres-devem-seguir-o-exemplo-do-presidente-da-ucra nia.htm l. Acesso em: 07 Abr. 2022.

  2. GRANT, Adam. The nº 1 Leadership Lesson From Ukraine's Incredibly Courageous President, According to Adam Grant. Few of us could match Volodymyr Zelensky's courage, but Grant insists business leaders can still learn something important from him. Disponível em: https: //ne ofeed.com.br/blog/home/as-licoes-de-lideranca-de-volodymyr-zelenskiy/. Acesso em: 12 Abr. 2022.

  3. MANDELLI, Pedro: LORIGGIO, Antônio. O papel central do líder, sua motivação, proatividade e equilíbrio emocional. Petrópolis: Vozes, 2016.

  4. PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS. A preciosa lição de liderança que o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, pode ensinar Disponível em: https://revistapeg n.globo.com/Dia-a-dia/Gestao-de-Pessoas/noticia/2022/03/preciosa-licao-de-lideranca-que-o-presid dente-da-ucrania-volodymyr-zelensky-pode-ensinar.html. Acesso em: 07 Abr. 2022.

  5. ROWE, W G. Liderança estratégica e criação de valor. Revista de Administração de Empresas, Vol. 42, nº 1, p. 1-15, 2002.

  6. SIZA, Rita. Guerra na Ucrânia - Para a UE, adesão não pode rimar com corrupção. Público, 10 de março de 2022. Disponível em: https://www.publico.pt/2022/03/10/mundo/noticia/ue-adesaon ao-rimar-corrupcao-1998320. Acesso em: 11 de julho de 2022.

  7. ZELENSKY, Volodymyr. Biografia de Zelensky - e Biografia. Disponível em: https://www.ebiogr afia.com/volodymyr_zelensky/. Acesso em: 05 de março de 2022.

 

Rio de Janeiro - RJ, 12 de julho de 2022.


Como citar este documento:
Gonçalves, Rogério de Amorim. A liderança de Zelensky no conflito da Ucrânia. Observatório Militar da Praia Vermelha. ECEME: Rio de Janeiro. 2022.  

.

 

Fim do conteúdo da página